Como a estratégia do oceano azul pode ajudar minha empresa?

O ambiente de alta competitividade no meio corporativo impõe desafios cada vez mais difíceis de transpor, no momento em que não basta mais oferecer um serviço de mais qualidade ou com maior rapidez — é necessário ser inovador. Dentro dessa visão, o livro Blue Ocean Strategy, ou Estratégia do Oceano Azul, apresenta um novo paradigma que tem revolucionado a forma de empreender.

O que é a estratégia do oceano azul, como funciona e como mergulhar nesse mar ajudará sua empresa a se destacar no mercado? Confira!

O que é a teoria do oceano azul?

A teoria do oceano azul foi apresentada pelos pesquisadores W. Chan Kim e Renée Maiborgne no livro Blue Ocean Strategy. Ela se baseia na constatação de que muitas empresas insistem em manter-se em um mesmo mercado ou modelo de negócios já saturado, em alta competitividade. Essa luta sangrenta e vermelha para atrair novos consumidores tem resultado em frutos pouco significativos.

Por outro lado, muitas empresas têm se reinventado e se reestruturado para desenvolver um novo modelo de negócios. Dentro do conceito de estratégia do oceano azul, muitos empreendedores navegam em novos mares, ou seja, novos mercados antes não atendidos. Eles fogem, assim, de uma área de ampla concorrência em que o crescimento dos lucros seria muito improvável.

Como funciona?

A inovação, nesse contexto, não está necessariamente ligada à criação de um novo mercado, mas trata-se de “inovação de valor”, ou Value Innovation, visando suprir as necessidades específicas de consumidores dentro de um novo segmento. Muitas vezes, essas necessidades ainda não foram identificadas pelas grandes corporações, permitindo que você ofereça um serviço/produto de valor único.

Para entender esse valor, basta lembrar que todo empreendedor é também, por essência, um consumidor e, como consumidores, gostamos que nos apresentem serviços que atendam nossas exigências e necessidades. Quando encontramos um serviço único, que parece que foi feito sob medida, lhe atribuímos real valor, que não existe nos serviços oferecidos por outras empresas.

Considere, por exemplo, o caso da Casas Bahia e do Cirque du Soleil. Essas duas organizações não criaram novos mercados, mas sim um novo modelo de negócios que atraiu e fidelizou novos clientes.

A Casas Bahia inovou por focar em um nicho o varejo — as classes C e D — e lhes apresentar um serviço que atendia às suas necessidades específicas. Isso foi possível quando a empresa, entre outras medidas, passou a oferecer crédito para que os consumidores com menor poder aquisitivo pudessem financiar suas compras.

O Cirque du Soleil agregou valores aos seus espetáculos, que simplesmente elevaram a empresa acima de qualquer concorrência, tornando-a única aos olhos dos seus clientes. A organização criou um conceito criativo de espetáculo circense, com elementos de design, show, enredo e música. Inclusive, uma das primeiras apresentações do grupo era chamada “Nós reinventamos o circo”. Realmente conseguiu apresentar um novo conceito.

Como colocá-la em prática?

Para colocar em prática a estratégia do oceano azul é necessário buscar um nicho ou segmento de mercado ainda não explorado. Isso pode significar sair da zona de conforto e pesquisar novos consumidores e possíveis segmentos.

Para tanto, é necessário avaliar alguns aspectos, tais como a quantidade de consumidores, suas necessidades e anseios, tipos de produtos e suas características, qual a área geográfica e logística de atendimento e a vantagem competitiva em meio à concorrência.

Essas informações podem ser obtidas e construídas a partir de comunidades colaborativas, conhecidas como crowdsoucing. Por meio dessas plataformas, as empresas podem testar seus produtos e serviços, utilizando o conhecimento coletivo para reunir informações e opiniões de pessoas espalhadas em todo o mundo.

Algumas dessas plataformas oferecem suporte para Programas de Inovação, desenvolvendo ideias e encontrando soluções para projetos corporativos.

Quais benefícios a estratégia do oceano azul pode trazer à sua empresa?

Dentro desse panorama competitivo entre as empresas, definir estratégias do oceano azul pode trazer inúmeros benefícios à sua empresa. Essas vantagens estão interligadas, de modo que um benefício resulta ou é consequência de outro. Consideremos os principais deles.

Preenche uma lacuna do mercado

Existem ainda muitos mares inexplorados, mercados e segmentos nunca atendidos — e sempre haverá. Isso porque as necessidades e os desejos dos consumidores se modificam e novos são criados ao longo do tempo. Quando a empresa está atenta a esses fatores, consegue preencher essa lacuna e consegue inovar em seus produtos, serviços ou modelo de negócios.

Fortalece a marca e a torna referência

Quando a empresa consegue oferecer um produto/serviço diferenciado que atende as necessidades dos usuários, ela fideliza seus clientes. Exatamente por ser algo novo no mercado, a organização consegue tornar-se referência naquilo que oferece e tem sua marca estabelecida, reconhecida e fortalecida.

Torna a concorrência irrelevante

Enquanto no oceano vermelho as empresas preocupam-se com a concorrência porque precisam competir em um mercado que já existe, na estratégia do oceano azul o foco está na competição irrelevante, quando o consumidor percebe que somente seu produto atende suas necessidades da maneira que ele precisa. Nessa visão, a sua empresa se sobrepõe à concorrência no sentido de que somente você oferece o serviço/produto que ele deseja.

Aumenta lucros com baixo custo

Esse é um dos pontos divergentes entre o oceano vermelho e o oceano azul: no modelo tradicional, as empresas trabalham com a relação entre custo e valor, enquanto a estratégia do oceano azul visa criar mais valor com o menor custo. Isso ocorre porque, no oceano azul, o consumidor deseja e se sente à vontade para pagar pelo produto devido ao alto valor atribuído e à sua utilidade.

Mantém a empresa com os “pés no chão”

Desde o começo da construção do novo modelo de negócios a estratégia se baseia em uma detalhada pesquisa, remodelando continuamente o projeto segundo as necessidades e exigências dos consumidores. Esse processo apresenta à empresa um feedback importante, que contribui — e muito — para a diminuição de riscos em potencial.

Sem dúvidas, a estratégia do oceano azul é um instrumento fundamental para a longevidade das empresas, permitindo-as sair de um ambiente competitivo, despontarem em um segmento inexplorado e atraírem novos clientes com serviços/produtos de real valor.

Gostou da ideia de navegar em mares tranquilos e inexplorados? E a sua empresa também tem procurado inovar? Deixe um comentário!

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

topo