Como as plataformas colaborativas potencializam a geração de ideias?

Antigamente, acreditava-se que a genialidade era uma característica de poucos abençoados, que seriam capazes de dar ao mundo ideias incríveis e inovadoras. Algumas lendas, como Steve Jobs, se apoiaram nisso para criarem suas próprias reputações de profissionais visionários.

No entanto, isso é apenas mito: cada ideia incrível que fez a diferença no mundo (do avião ao iPhone) é fruto de trabalho em equipe, da união do esforço e talento de uma série de pessoas. A inovação surge, portanto, da colaboração. Ter isso em mente é fundamental no mundo atual, onde os mercados estão cada vez mais competitivos e só conseguem sobreviver e se destacar as empresas que conseguem, a todo momento, criar produtos e serviços novos e impactantes.

Nesse contexto, para ter uma empresa de sucesso é preciso articular uma série de profissionais oriundos de diferentes áreas, diversas experiências de vida e objetivos em comum de forma produtiva. Parece uma tarefa complicada, certo? Mas graças ao surgimento das plataformas colaborativas, reunir boa gente em busca de inovação vem se tornando mais fácil. Neste artigo, listamos o que essas plataformas podem fazer pela sua equipe de inovação, potencializando a geração de ideias. Confira!

O que é Crowdsourcing?

A expressão vem da junção das palavras inglesas crowd (multidão) e outsourcing (terceirização), e já entrega, de maneira sintética, o que queremos dizer quando falamos em crowdsourcing: reunir um grande número de pessoas para realizar uma ou várias tarefas em benefício de uma organização — ou mesmo para a sociedade. Esse conceito pode soar novo para algumas pessoas, mas ele já é utilizado em serviços que são muito populares. Talvez o exemplo mais famoso seja a Wikipedia, uma enciclopédia virtual onde cada usuário contribui com a criação e edição de novos artigos. Outro exemplo de peso é o Firefox, um navegador de internet com código aberto, construído e constantemente aprimorado com as contribuições de milhões de pessoas ao redor do mundo.

No entanto, as iniciativas de inovação baseadas em crowdsourcing vão muito além do mundo virtual: elas podem ser utilizadas para criar e testar novos produtos, desenvolver processos inovadores de trabalho e até para a realização de pesquisas em massa para aprimorar a estratégia de marketing de uma empresa. Ou seja, é possível utilizar o esforço massivo de uma comunidade articulada em uma plataforma colaborativa para atingir objetivos extremamente assertivos, tudo isso de uma maneira ágil e barata.

Propondo desafios

O gatilho inicial de qualquer projeto feito em crowdsourcing é um desafio. No já citado caso da Wikipedia, o desafio é criar e manter uma enciclopédia digital mais completa possível; para o Firefox, criar um navegador de internet potente. No entanto, a proposta de um crowdsourcing pode ser muito mais assertiva.

Uma empresa de calçados, por exemplo, pode lançar o desafio para que voluntários possam propor uma maneira de desenvolver solados sustentáveis, como a utilização de pneus velhos, por exemplo. Em troca, ela oferece algum tipo de recompensa, que pode ser apenas um reconhecimento do trabalho intelectual, uma recompensa em produtos (como uma linha completa de tênis para a ideia vencedora) ou mesmo uma pequena quantia em dinheiro. Esse tipo de concurso de inovação atrairá uma quantidade enorme de pessoas empenhadas em resolver um problema bastante específico: transformar pneus em solados de maneira eficiente, rápida e barata.

Mobilizando a comunidade

Como explicamos no item anterior, uma maneira inteligente de solucionar um problema ou criar algo completamente inovador é reunindo um grande número de pessoas pensando sobre determinado assunto. Mas estamos falando de quais tipos de pessoas?

Ora, uma ação de multidão reúne uma infinidade de perfis (pessoais e profissionais): podemos falar de amadores com interesse em determinado assunto, profissionais com interesse em melhorar o seu portfólio, estudantes e pesquisadores a fim de aumentar os seus próprios conhecimentos, e mesmo clientes ou aficionados de um determinado produto. Essa diversidade de atores, quando bem articuladas em uma plataforma, aumentará a capacidade da sua empresa de encontrar soluções inovadoras.

Mobilizando sua equipe

Quando falamos em crowdsourcing, costumamos pensar na ajuda do público externo de uma determinada empresa. No entanto, é possível realizar esse tipo de movimento com os próprios funcionários, parceiros e fornecedores. É o caso, por exemplo, da CVC, a maior operadora de turismo do Brasil.

A empresa buscava uma maneira de desenvolver uma nova estratégia de inovação tecnológica e decidiu engajar seu próprio corpo de funcionários nesse projeto. Para isso, foi criado um ciclo de inovação estratégica e os colaboradores compartilhavam ideias, tarefas e cronogramas em uma plataforma colaborativa chamada Software de Gestão da Inovação da Brightidea. O plataforma funciona na nuvem (ou seja, pode ser acessado por qualquer computador que tenha acesso à web), permite que colaboradores troquem ideias e ainda conta com um sistema eficiente de validação: em linhas gerais, pode-se dizer que a própria comunidade tem a capacidade de ranquear, através do voto, as melhores propostas dentro do programa. Ou seja, com o uso de uma plataforma colaborativa, os próprios funcionários da CVC conseguiram inovar seu processo interno e elaborar um novo plano de gestão tecnológica.

Coletando informações

As novas ideias não surgem do nada: elas são fruto da observação do mundo e devem servir para solucionar algum problema. Por isso, o primeiro passo a ser dado é saber o que precisa ser inovado. Foi pensando nisso que a Qualitá — uma marca de produtos de alimentação do dia a dia do Grupo Pão de Açúcar (GPA) —, decidiu basear seus esforços de inovação na própria percepção dos consumidores. Por isso, criou o programa “De Olho Na Marca”, onde os próprios clientes podiam identificar produtos mais icônicos da marca e compartilhar suas impressões sobre aspectos como a qualidade e o preço. Os dados coletados da multidão de sugestões e pesquisas foram a base para a combinação de cestas dos produtos e mesmo na melhoria de alguns itens. Nesse caso, uma plataforma colaborativa foi usada para substituir de maneira mais rápida e barata as chamadas pesquisas de mercado e marketing, que podem se arrastar por meses e nem sempre serem baseadas em dados qualitativos.

Como mostramos nesse artigo, utilizar crowdsourcing pode ser útil para diversas situações e cada perfil de atividade pode demandar uma plataforma de colaboração adequada. Por isso, a Simplez disponibiliza o Software de Gestão da Inovação da Brightidea: que ajudam sua comunidade digital a criar e entregar novas ideias de maneira totalmente colaborativa, sem abrir mão da segurança e do controle gerencial. Saiba mais no nosso site!

Você já participou de um projeto por meio de uma plataforma de colaboração? Compartilhe conosco sua experiência!

Tags

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

topo