Como implantar um Programa de Inovação Corporativo?

O elemento inovação ganhou grande destaque dentro do universo corporativo e passou a fazer parte da estratégia de muitas empresas, pois, atualmente, é um dos aspectos decisivos para o crescimento de qualquer negócio — e, consequentemente, para a criação de novos postos de trabalho e oportunidades de desenvolvimento para os colaboradores. Além disso, a inovação é uma importante aliada na superação de vários desafios de mercado, como a própria globalização da economia, o aumento da concorrência e a redução do ciclo de vida de certos produtos.

Nesse sentido, os programas de inovação corporativos se tornaram ferramentas de gestão na busca por ideias, proposta e projetos, capazes de manter a competitividade das empresas e trazer novas possibilidades de negócio. Porém, em muitos casos, essa iniciativa fracassa, pois existem falhas na estratégia, no gerenciamento do programa, na concepção da estrutura, em estágios do funil de inovação, na formação da comunidade colaborativa e no monitoramento dos principais resultados gerados. Quando isso acontece, o programa perde credibilidade e não é capaz de gerar interesse e nem de engajar os profissionais e os demais participantes.

Conheça agora alguns passos para a implementação de um programa de inovação corporativo mais colaborativo e efetivo, que fortaleça a cultura corporativa voltada para a inovação como competência organizacional.

Determinar o foco do programa de inovação corporativo

É importante determinar qual será o foco do programa, ou seja, qual a intenção principal da empresa em relação às ideias produzidas. Determinados programas estão focados em inovações incrementais, otimização de processos e evoluções dos produtos já existentes. Em outros casos, a prioridade é a geração de inovações radicais que possam transformar significativamente a realidade da empresa, propondo novos modelos de negócio. Dessa forma, todos os recursos passam a ser direcionados a essas ideias, assegurando resultados mais significativos, atendendo às expectativas da empresa.

Definir metas para mensurar os resultados

No início do programa de inovação, é fundamental definir metas e mensurar os resultados, em especial os relacionados à participação dos colaboradores. Indicadores como número de participantes por departamento, visitas pontuais ou recorrentes à plataforma colaborativa, comentários ou votos nas melhores ideias, propostas encaminhadas por equipes multifuncionais, precisam ser monitorados e devem alimentar a estratégia de comunicação e divulgação do programa. Isso deve ser feito seguindo as etapas da metodologia PDCA (plan, do, check, act), para corrigir desvios, melhorar políticas e procedimentos, reforçar aspectos positivos, além de insistir na cooperação e o engajamento de todos.

Reforçar a cultura de inovação

A cultura de inovação deve permear todos os níveis hierárquicos, começando pela alta diretoria e presidência. Os executivos mais importantes da empresa devem demonstrar um forte comprometimento com o programa e atuar de forma a incentivar a participação de todos os colaboradores. O exemplo deve começar com decisões gerenciais, como o provisionamento de verba para financiar projetos de inovação que avançam, incluir essa competência nos planos de desenvolvimento de talentos e lideranças, e ainda planejar treinamentos para formação em práticas de inovação, com a finalidade de capacitar e preparar profissionais para se tornarem multiplicadores e potenciais agentes de mudanças.

Definir stakeholders e canais de comunicação eficientes

Um programa de inovação deve contar com stakeholders competentes e empoderados para a realização de todas as tarefas previstas. Nesse sentido, é fundamental eleger profissionais que tenham um perfil alinhado às exigências das novas tarefas para que sejam capazes de conduzir o programa de forma efetiva. É importante também estabelecer claramente o papel de cada stakeholder, seus limites de atuação e suas responsabilidades. Além disso, atente-se para o desenvolvimento de uma estratégia de comunicação e a criação de canais internos para a divulgação do programa, além de campanhas de incentivo e reconhecimento para a maior mobilização dos colaboradores.

Elaborar um sistema de reconhecimento e recompensas diferenciado

Outro aspecto importante para a implantação de um programa de inovação corporativo é o sistema de reconhecimentos e recompensas. É preciso que os critérios para premiação sejam claros e justos, eliminando qualquer subjetividade. Assim, o ideal é relacionar os grupos que atuaram nas ideias, desde o início do desenvolvimento, até a implementação, para que todos sejam reconhecidos de forma correta e proporcional à contribuição e ao envolvimento de cada profissional.

Essa prática é mais facilmente aplicada a resultados mensuráveis, como aumento de receita ou redução de custos. Podem existir recompensas tangíveis, como pagamento em valores, bonificações ou prêmios e brindes, e as intangíveis, como políticas de reconhecimento e oferta de novas oportunidades de crescimento profissional. De qualquer forma, as recompensas definidas pelo programa devem estar alinhadas ao perfil e ao interesse dos colaboradores para que sejam realmente valorizadas.

Estabelecer parcerias com clientes, fornecedores e universidades

Uma maneira inteligente de incrementar o programa de inovação corporativo é estabelecer parcerias com clientes, fornecedores e universidades e escolas técnicas para a busca e desenvolvimento de projetos direcionados às demandas reais da empresa. A participação de profissionais, clientes, alunos e professores pode produzir inúmeras propostas, ideias criativas e soluções para os atuais problemas, fomentando, assim, o conceito de inovação aberta colaborativa.

Criar mecanismos para compartilhamento de conhecimento e informações

O compartilhamento de conhecimento e informações deve fazer parte do programa de inovação, e para vencer algumas barreiras internas é preciso criar mecanismos que permitam e estimulem esse tipo de comportamento. Algumas empresas já adotaram portais de inovação colaborativos para incentivar e coletar ideias. Outra estratégia, é listar as necessidades tecnológicas e gargalos da operação e encorajar respostas a esses desafios específicos.

Portais colaborativos podem ser uma excelente ferramenta para engajar e criar grupos de discussão e pesquisa, envolvendo clientes, fornecedores e parceiros do negócio. Também podem ser usados ​​para acessar tendências do mercado, reunindo as preferências dos consumidores, por exemplo. Algumas versões do programas de inovação colaborativo são preparados para permitir que os participantes construam sobre as ideias já existentes, formando uma equipe virtual de cocriação, ou, ainda, para votarem nas melhores ideias a serem implementadas.

Investir em uma plataforma colaborativa de Gestão da Inovação

O gerenciamento efetivo de um programa de inovação corporativo exige a integração de várias informações, além de fluxos de dados ágeis e confiáveis e de etapas definidas de desenvolvimento, avaliação e implementação das ideias e projetos. Por isso, é essencial contar com uma plataforma colaborativa adequada, capaz de centralizar e organizar todos esses processos. Dessa forma, é possível dar mais transparência ao programa, tornando-o dinâmico, interessante e produtivo.

Sua empresa já tem um programa de inovação corporativo? Compartilhe conosco suas dicas e experiências sobre a fase de implementação e resultados!

Tags

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

topo