Como montar um programa de inovação realmente eficaz?

Avanços tecnológicos, ambiente mercadológico em constante movimento, concorrência acirrada e necessidade de atender às demandas cada vez mais exigentes de clientes são partes de um cenário que requer uma postura mais dinâmica das empresas, o que pode ser conquistado com a implementação de um programa de inovação.

Inovar é muito mais do que gerar novas ideias, é agregar valor aos seus produtos e serviços, construir processos mais eficientes e eficazes, trazendo retorno tanto para si quanto para seus stakeholders. Quando falta inovação na empresa, perde-se competitividade, market share, poder de negociação e também seus talentos mais preciosos. Em contrapartida, quando você investe em programas de inovação, é possível identificar tendências e, com isso, abraçar novas oportunidades de negócios, abrir espaço para novos mercados, atrair a atenção de parceiros estratégicos e novos clientes, reter os talentos e fazer com que eles estejam engajados em cada iniciativa de crescimento da empresa.

A criação de uma cultura de inovação é o melhor caminho para desenvolver processos, produtos e serviços mais adequados ao mercado, com diferenciais que agreguem valor ao seu negócio, tornando-o verdadeiramente único. E é por isso que os modelos de inovação colaborativa, como o crowdsourcing, estão cada dia mais fortes.

Baseado na criação coletiva, o crowdsourcing traz respostas mais do que satisfatórias a um ambiente mercadológico em constante mudança, pois aproveita toda a tecnologia disponível para gerar melhores soluções com a ajuda de competências multidisciplinares que se somam em prol de um bem maior, que é a inovação.

O que você deve se perguntar ao montar um programa de inovação?

Montar um programa de inovação é quebrar barreiras, por isso pode gerar muitas dúvidas na implementação. Por onde começar? Como planejar essa mudança? Como reagir às resistências? Para que você possa montar o seu programa de inovação com mais tranquilidade, selecionamos algumas perguntas que você deve se fazer:

Por que inovar?

Essa é a primeira grande questão que você deve responder. Quais são os objetivos da sua empresa ao inovar? Analise o planejamento estratégico e verifique quais são os objetivos organizacionais de curto, médio e longo prazo. Como a empresa pode inovar para que esses objetivos sejam atingidos com mais rapidez e qualidade?

Definir objetivos para o projeto de implantação do programa de inovação ajuda a manter o foco naquilo que é mais importante e também a promover um alinhamento estratégico entre as ações e a visão da empresa.

Onde inovar?

Será que é possível inovar em todas as áreas da empresa de uma única vez? Onde a inovação trará mais impactos positivos? Dependendo dos objetivos mais urgentes da sua empresa, que podem ser com relação à diversificação de produtos e serviços, entrada em novos mercados, aumento da eficiência, entre outros, você pode definir grandes áreas a serem abrangidas pela inovação.

Processos de negócios

Melhoria de processos trazem maior eficiência para a empresa, aumentam a produtividade e reduzem o desperdício. Por isso, é comum vermos as empresas preocupadas em redesenhar processos, eliminar a burocracia e tornar os fluxos informacionais mais ágeis.

Você pode inovar os processos do seu negócio adotando novas tecnologias que facilitem o trabalho; ferramentas de análise, que possibilitem uma visão sistêmica dos negócios, como é o caso do Big Data; investir em automatização de processos para reduzir falhas e retrabalho; ferramentas de apoio ao cliente que melhorem o atendimento; e também em ferramentas que facilitem a comunicação interna e o fluxo de informações para que as pessoas trabalhem com mais independência.

Redução de custos

Outra oportunidade de inovação é na gestão de custos. Como reduzir os gastos atuais e garantir maior rentabilidade para o seu negócio? Como torná-lo mais eficiente do ponto de vista financeiro?

Para reduzir custos na empresa você pode investir em inovação na área de compras, com uma melhor seleção de fornecedores; na otimização dos recursos consumidos; na gestão do estoque para evitar perdas; e na automatização de processos, visando manter uma equipe mais enxuta, desonerando sua folha de pagamento.

Geração de receitas

Além de reduzir os custos, você pode gerar mais receitas investindo em programas de inovação. Gerar receitas está diretamente ligado ao desenvolvimento de novos produtos e serviços; à entrada em novos mercados; a novas estratégias de marketing e vendas para aumentar o número de leads e conversões; ao aprimoramento do atendimento ao cliente; e também à retenção de clientes.

Para tanto, você pode investir em estratégias inovadoras, como inbound marketing na geração de leads e conversões; em plataformas de autoatendimento para proporcionar uma melhor experiência de compra para o cliente; em programas de valorização e fidelização para retenção de clientes; e em pesquisa e desenvolvimento para trazer soluções inéditas para o mercado.

Lembre-se de que pesquisa e desenvolvimento podem ser custeados com o auxílio de plataformas de crowdfunding ou financiamento coletivo.

Modelo de negócios

Inovar no modelo de negócios é uma das transformações mais profundas pela qual uma empresa pode passar, mas pode ser a garantia de um futuro muito melhor. E exemplos de sucesso temos aos montes, como o Google, que passou a rentabilizar suas atividades com publicidade online e hoje é uma das empresas mais poderosas e rentáveis do mundo!

Para chegar ao modelo de negócio adotado hoje, o Google teve que investir em um programa de inovação que trouxesse soluções sustentáveis para manter suas atividades sem cobrar o serviço dos clientes finais da plataforma de buscas, ou seja, os internautas. A solução veio com o modelo de negócios baseado em anúncios pagos por empresas que desejam aumentar sua visibilidade na internet e, com isso, adquirir mais clientes. A ideia deu tão certo que várias outras empresas seguiram o mesmo caminho, como o Facebook e o Twitter, por exemplo.

Mudar o modelo de negócios não é nada fácil, mas você pode criar alternativas para aumentar as receitas da empresa ou gerar mais valor para seus clientes através de um programa de inovação. É possível, por exemplo, deixar de ter uma loja física e passar a ter apenas um e-commerce, reduzindo os custos de infraestrutura; diversificar os canais de venda para atender a um público diferenciado, investindo em vendas diretas feitas por representantes independentes (o famoso marketing multinível); é possível ainda terceirizar atividades que não são o foco da empresa para obter maior competitividade; e por aí afora.

As oportunidades de inovação são muitas, basta você identificar seus objetivos de negócio e focar-se em uma ou mais dessas áreas.

Quanto tempo investir em inovação?

Se você não tem uma equipe dedicada exclusivamente à inovação dentro da sua empresa, é preciso determinar quanto tempo as pessoas poderão se dedicar à inovação ou encontrar um parceiro que te auxilie nesta jornada.

Haverá momentos pré-agendados para discutir as possibilidades de inovação na empresa? É possível disponibilizar uma plataforma colaborativa para que as pessoas interajam sempre que desejarem e contribuam com os mais variados projetos? Como você estimulará a participação de todos sem atrapalhar as atividades diárias de cada um?

Planejar a disponibilidade das pessoas é fundamental para que você mantenha o programa de inovação ativo sem prejudicar o andamento do negócio e a produtividade pessoal dos seus colaboradores. Uma boa forma de fazer isso é adotando um cronograma, onde cada um sinalize seu tempo disponível para se dedicar à iniciativa.

Como selecionar as melhores ideias?

Em um ambiente colaborativo, as ideias surgem aos montes, mas como definir quais delas serão implementadas? É preciso ter um processo de seleção que leve em consideração a visão de resultados que a empresa deseja, uma vez que boas ideias nem sempre são factíveis.

Criar um formulário que permita uma visualização da ideia, seus impactos e custos já é um bom começo. Você pode também criar um sistema de avaliação com pontuações, definindo critérios que determinem a relevância daquela ideia.

Pedir que as pessoas votem na melhor ideia é uma forma de envolver todos no processo decisório, garantindo que no momento da implementação todos estarão comprometidos. E uma maneira de convencer a diretoria com relação à melhor solução é realizando uma análise de viabilidade econômico-financeira.

Como reconhecer e valorizar as boas ideias?

Quando existe uma cultura de inovação, as pessoas estão mais preocupadas em agregar valor ao negócio do que com quem efetivamente deu a grande ideia. Contudo, valorizar as pessoas que estão comprometidas com a sua empresa é fundamental para mantê-las motivadas e focadas em resultados.

Para não cair num círculo vicioso de troca de ideias por dinheiro, evite dar recompensas financeiras. Utilize a comunicação interna para valorizar os colaboradores, crie confraternizações, dê certificados, faça uma “calçada da fama” das boas ideias, promova um encontro entre os agentes da mudança e a alta diretoria, etc.

O reconhecimento público gera muito mais engajamento do que uma recompensa material, como um bônus no salário, por exemplo. As pessoas se lembram dos bons momentos, guardam fotos e se orgulham de participar do processo. Esse sentimento é duradouro e não acaba nunca!

Como implementar as ideias selecionadas?

Toda ideia lançada pode ser aprimorada com uma boa análise. Busque refinar as ideias, explore outros pontos de vista, faça testes e recorra à implementação em cascata, isto é, aos poucos. Se a mudança afeta a vários setores, foque-se primeiro em um e depois vá disseminando as melhores práticas entre os demais.

Se o projeto for complexo, você pode recorrer às metodologias ágeis, que permitem o planejamento e implementação da solução em iterações, ou seja, em unidades menores de trabalho (ciclos), que podem ser mais facilmente controladas, monitoradas e revisadas.

Como comunicar o novo programa de inovação?

Para ter sucesso com o novo programa de inovação, você precisa divulgá-lo. Fazer com que as pessoas conheçam a iniciativa e se envolvam com ela espontaneamente, tornando-se apoiadores.

Se você tem uma boa comunicação interna, fica fácil utilizar os canais de comunicação oficiais para fazer esse trabalho de conscientização e educação. Caso não tenha, invista no desenvolvimento de formas eficazes de comunicação dentro da sua empresa, como a intranet, um blog corporativo, palestras, workshops e outros formatos de eventos que atraiam o interesse das pessoas e possam ser utilizados para fomentar a ideia do programa de inovação internamente.

Como manter o programa ativo?

Muitas empresas investem pesado na criação de um programa de inovação, mas não se atentam para amanutenção do programa. Toda novidade gera repercussão, faz com que as pessoas se interessem, mas quando as tarefas do dia a dia pesam, se a inovação não fizer parte da cultura da empresa essas iniciativas certamente vão se perder. O que fazer então?

Mantenha reuniões recorrentes com as lideranças e com os funcionários; não deixe de fomentar a geração de ideias com incentivos, como confraternizações e momentos de descontração; fortaleça a comunicação de mão dupla, onde o feedback é aceito por todos; converse com as pessoas e busque melhorias contínuas.

Como avaliar a eficácia do programa de inovação?

Por fim, não deixe de se perguntar quais indicadores de performance são essenciais para medir o desempenho do programa de inovação. Os objetivos iniciais estão sendo atingidos? Os resultados esperados estão aparecendo? A participação das pessoas aumentou ou diminuiu? A empresa ganhou competitividade? Ampliou seu market share?

Quando as respostas começarem a aparecer, você poderá ter certeza de que o sucesso está próximo, basta persistir com a ideia e partir para a ação.

Entenda melhor os programas de inovação colaborativos

A ideia de que muitas cabeças pensam melhor do que uma e podem propor soluções diferenciadas para o mesmo problema ou necessidade ganhou muito espaço com a quebra de barreiras geográficas proporcionada pela internet. À medida que você pode falar com qualquer pessoa, de qualquer lugar do mundo, é possível também buscar outros pontos de vista e, com isso, construir soluções mais eficazes tanto para as empresas quanto para o mercado e os consumidores.

Esse formato de iniciativa ganhou o nome de crowdsourcing, que vem da junção das palavras crowd (multidão) e source (raiz). Ou seja, muitas pessoas pensando em soluções para um mesmo problema ou necessidade, colaborando entre si para buscar alternativas mais sustentáveis, gerando valor a partir de ideias.

É nessa premissa que muitas empresas de tecnologia se baseiam para desenvolverem suas inovações, como Microsoft, Intel e Cisco, que colaboram entre si para criarem e aprimorarem programas de inovação e oferecer ao mercado produtos tecnológicos cada vez mais avançados e potentes. Outro exemplo de crowdsourcing de sucesso é a plataforma Wikipedia, que conta com a colaboração de milhares de pessoas ao redor do mundo para manter sua base de dados atualizada e útil para os usuários da internet.

Dentro do crowdsourcing, temos várias possibilidades de inovação colaborativa, cada qual com suas potencialidades e limitações:

Crowdfunding ou financiamento colaborativo

É um modelo de crowdsourcing em que você lança uma ideia e pede que as pessoas contribuam financeiramente com ela. Por exemplo, se sua empresa está desenvolvendo uma nova tecnologia para coleta e análise de dados em determinado segmento de mercado, não precisa bancar todo o projeto sozinha, pode buscar investidores e apoiadores em plataformas de crowdfunding.

Você pode buscar plataformas de crowdfunding, como Kickante, Juntos ou Catarse, e buscar pessoas e empresas que acreditem no seu projeto e estejam dispostos a apoiá-lo nessa empreitada. Em troca, você fornece algum tipo de benefício, que pode variar desde pequenos brindes até uma participação acionária na sua empresa — dependendo da complexidade do projeto e da quantia financiada, claro.

Open Innovation

Ideal para que você utilize internamente na sua empresa, o open innovation é um modelo de crowdsourcing em que você convida as pessoas para darem ideias e construírem soluções. Por exemplo, se você deseja diversificar seu portfólio de produtos e não sabe bem o que oferecer ao mercado, pode utilizar uma plataforma como o Innovation Suite da BrightIdea para reunir seus funcionários em torno da construção de ideias e gerenciá-las de forma intuitiva e muito eficaz.

Essas pessoas trabalham de forma colaborativa, agregando valor às ideias lançadas até que se chegue a um produto final adequado à sua necessidade. Além dos funcionários, você pode envolver sócios, investidores, clientes e outros players que impactam diretamente no seu negócio, ampliando as oportunidades de crescimento e diferenciação.

Microtasking

O microtasking consiste em segmentar um projeto em várias tarefas e distribuí-las para uma quantidade maior de pessoas, visando acelerar a entrega do projeto sem falhas ou perda da qualidade.

Mais uma vez você pode aplicar o microtasking internamente, envolvendo seus funcionários em projetos de melhoria contínua. Em vez de concentrar todas as atividades no escritório de projetos ou em uma equipe apenas, você pode distribuir as atividades entre mais pessoas, aumentar a produtividade e melhorar os resultados.

As vantagens do crowdsourcing

A grande vantagem do crowdsourcing está em contar com os conhecimentos e habilidades de vários profissionais, construindo uma comunidade multidisciplinar, onde cada um doa o que tem de melhor para criar soluções inovadoras e capazes de gerar resultados surpreendentes. Mas não é só isso, veja:

Custo atrativo

Com o auxílio das tecnologias da informação e, principalmente, da internet, o custo de desenvolver novas ideias e soluções se tornou bem menor do que antigamente. Se até a alguns anos atrás era preciso contratar um engenheiro da Alemanha e trazê-lo para o Brasil para que ele se juntasse à sua equipe, hoje a realidade é outra.

Utilizando plataformas colaborativas e outros recursos, como Skype, WhatsApp, redes sociais, etc., você conversa com qualquer pessoa em qualquer lugar do mundo sem precisar desembolsar nem um centavo a mais. A equipe trabalha unida, compartilha conhecimento, assiste a testes por vídeos, opina e faz sua parte sem precisar estar de corpo presente.

Descentralização de tarefas

Com o microtasking você descentraliza as tarefas e atribui responsabilidades a quem pode responder com mais qualidade à necessidade, sem precisar deslocar ninguém de setor ou atividade. Além do mais, com mais pessoas envolvidas na realização das tarefas, você percebe os resultados em menos tempo, o que pode significar uma vantagem diante dos seus concorrentes.

Melhoria contínua

Utilizando um método simples como o crowdsourcing, você pode promover melhorias contínuas na sua empresa sem precisar investir grandes somas de dinheiro. Como os próprios funcionários participam do processo, eles são as pessoas mais indicadas para dizer como melhorar o ambiente de trabalho e trazer mais resultados.

Inovação dentro de casa

Enquanto muitas empresas buscam consultores externos para desenvolverem novas soluções, com a inovação colaborativa você terá o ambiente ideal para inovar in house, economizando recursos e aproveitando todo o know how dos seus funcionários, sócios e parceiros para criar soluções específicas para sua empresa.

Maior engajamento

Quando você adere ao crowdsourcing em programas de inovação, você tem a seu lado todo o poder das comunidades virtuais para engajar as pessoas e desenvolver projetos mais eficazes. Estamos cada dia mais conectados, dependemos da internet para desempenhar nossas funções e, quando temos a oportunidade de opinar sobre algo, lançar uma ideia ou contribuir com outras pessoas, temos a facilidade de poder fazer isso de qualquer lugar, a qualquer momento.

É por isso que quando você fortalece a comunicação, estimula a interação e proporciona as ferramentas adequadas para que as pessoas inovem, fica muito mais fácil garantir o engajamento e transformá-las em grandes aliadas.

Conclusão

Inovar é “sair da caixa”, pensar diferente, olhar o que se faz todos os dias com outros olhos e encontrar melhores formas de fazer isso, agregando valor para o negócio, melhorando a satisfação dos clientes, colaborando para manter o mercado saudável e competitivo.

Para ter sucesso com seu programa de inovação, não se esqueça de fazer as perguntas básicas que listamos aqui, mantendo o foco sempre no que sua empresa pode melhorar. Planeje-se com cuidado, envolva as pessoas certas, motive-as e mensure os resultados.

Encontre maneiras de facilitar a inovação na sua empresa, como a inovação colaborativa ou crowdsourcing, crie o ambiente ideal para que as pessoas compartilhem conhecimento, troquem ideias e interajam em busca de soluções mais sustentáveis e afinadas com sua visão de negócios.

Prepare-se para as mudanças com um bom programa de inovação, que seja construído sobre bases sólidas, que alie pessoas, processos e tecnologia em prol de uma empresa mais eficiente, mais produtiva, mais competitiva.

Preparado para colocar o seu programa de inovação em prática e transformar sua empresa? Ficou com dúvida em algum ponto da nossa conversa? Deixe seu comentário!

Tags

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

topo