Como usar crowdsourcing em programas de inovação corporativos

Como usar crowdsourcing em programas de inovação corporativosComo usar crowdsourcing em programas de inovação corporativosComo usar crowdsourcing em programas de inovação corporativos

Em 2008 uma crise sem precedentes atingiu o mercado imobiliário americano e afetou investimentos no mundo inteiro. Motivada pelo boom no crédito imobiliário, com a redução da taxa de juros implementada pelo Fed nessas linhas de crédito, ela foi desencadeada em 2006 e arrastou diversos bancos e bolsas de valores à beira da falência.

Assim como em outras crises, em meio a cenários desfavoráveis, as empresas tiveram que se reinventar para manutenção da competitividade. É aí que o crowdsourcing volta a ganhar espaço dentro da inovação.

Entenda: crise ou oportunidade

A ideia de que a crise é uma oportunidade de se reinventar vem do pensamento de Nicolau Maquiavel, que dizia que “onde a força de vontade é grande, as dificuldades não podem sê-lo”. Você deve estar se perguntando: por que citamos um filósofo falecido há cerca de 500 anos para falar de crowdsourcing? Todavia, o modelo não é tão novo quanto parece.

A primeira instância de uso da colaboração como motor inovativo foi feita pelo Governo Britânico em 1714. A poderosa Marinha Mercante Inglesa tinha um problema aparentemente insolúvel: determinar com precisão a longitude das suas embarcações. Sem novas ideias e com sua economia fortemente atrelada ao sucesso do comércio exterior, lançou um concurso aberto a população para levantar soluções.

Um simples operário foi o proponente da solução ideal: um relógio capaz de calcular a distância dos meridianos. O conceito foi formalmente incorporado pelos cartógrafos da época e, posteriormente, utilizado na International Meridian Conference de 1884, que definiu os marcos de latitude em voga até os dias de hoje.

Saiba o que é crowdsourcing e como ele funciona

O crowdsourcing é um termo formado por duas palavras inglesas (crowd + source). Isso faz-se necessário para diferenciar a origem das ideias e informações (source) no modelo, que advém da comunidade (crowd). Portanto, ele é o conhecimento coletivo, necessariamente produzido por meio da colaboração voluntária.

Esse é um recurso importante para a inovação, porque permite encontrar ideias onde sua empresa sequer imaginava. Aproximando uma marca dos seus usuários e orientando a inovação sem significar um investimento vultoso.

Uma empresa pode abrir um concurso para que clientes sugiram novos sabores para um dos seus produtos ou terceirizar um problema a fim de encontrar alternativas que sua equipe jamais imaginou. A Agência Espacial Norte Americana (NASA), por exemplo, planeja investir nos próximos anos pelo menos US$20 milhões de dólares em ideias da comunidade científica, por meio de um concurso de inovação aberta.

Outras grandes empresas já implementaram modelos similares. O crowdsourcing já faz parte da pirâmide de inovação de companhias como Google, Amazon e Apple.

Descubra como o crowdsourcing trabalha na inovação corporativa

Usar o conhecimento da comunidade na expansão dos seus produtos e serviços ainda é visto como algo arriscado ou exclusivo das grandes corporações. No entanto, na economia 2.0, pequenas e médias empresas têm tanto a ganhar quanto gigantes do mercado.

O crowdsourcing reduz o custo de se manter competitivo e pode ser o que faltava no caminho para o sucesso. As empresas especializadas em crowdsourcing desenvolvem plataformas por meio da quais é possível colocar o poder nas mãos dos usuários. Essas ferramentas conectam inventores e empresas, aproximando a inovação aberta até mesmo daqueles que não dispõem de recursos para isso.

Agora que você conhece melhor o modelo, que tal entender como funciona na prática? Confira algumas estratégias para utilizar crowdsourcing na sua empresa.

Incentive o empreendedorismo interno

O intraempreendedorismo é um conjunto de ideias inovadoras que surgem dentro dos limites da sua organização (Gifford Pinchot III, 1985). A palavra de ordem para que tal estratégia funcione é oferecer aos seus colaboradores a liberdade para criar, sugerir e acelerar a inovação dentro das empresas.

Estimular o intraempreendedorismo entre a sua equipe inclui dispor de orçamento para apostar nas grandes ideias e motivar os seus recursos humanos a se superarem. É o principal recurso das pequenas e médias empresas para começar a experimentar a inovação colaborativa, sem o receio no compartilhamento de informação sensível.

Coloque as boas ideias em prática

Para que colaboradores se sintam motivados a participarem do processo de inovação será preciso criar um espaço em que essas ideias virem realidade. A criação de protótipos e a disponibilidade de ambientes de testes, nos quais a comunidade tem a oportunidade de avaliar a eficiência das sugestões oriundas do brainstorming, ajudam a motivar a participação. A inovação é timing somado a tecnologia. Não se esqueça das colaborações dos seus funcionários na gaveta.

Engaje clientes e parceiros na inovação

Pesquise bastante para inovar com foco no mercado. Abra espaço para sugestões de clientes, parceiros e usuários e busque nas suas necessidades específicas a oportunidade de propor soluções que sequer imaginou.

Diversifique a geração de soluções

Terceirizar a geração de novas ideias em algumas áreas do negócio é uma boa maneira de usar as plataformas de crowdsourcing que já existem por aí. Precisa de um designer, redator ou profissional de marketing para lidar com demandas específicas, mas tem pouco a investir?

As comunidades on-line estão aí para te ajudar. Nesses ambientes, é menos oneroso e mais fácil se beneficiar do input de múltiplos profissionais, que trarão um novo olhar à marca.

Avalie o feedback e aprimore os resultados

Teste seus protótipos junto a usuários reais. Isso ajudará a garantir que eles atinjam os problemas do público e evidenciem a viabilidade da solução. Ouça com atenção o feedback da comunidade e empregue as lições no aprimoramento das alternativas desenvolvidas.

Agilidade no desenvolvimento de novas alternativas, retornos vultosos e baixos investimentos tornam o crowdsourcing uma opção e tanto para que sua empresa inicie o processo de inovação aberta. Dentre as suas principais vantagens podemos frisar a redução do risco na inovação.

Estimar as necessidades do mercado e como sua empresa pode se encaixar nesse vão com dados de pesquisadores independentes, por exemplo, diminui o investimento inicial em pesquisa e acelera a implementação de novidades.

O crowdsourcing é importante também para atualizar os seus conceitos sobre inovação. Abrir as portas para a troca de experiências e ideias enriquecerá a base de conhecimento, sem necessariamente significar novos custos. Entenda melhor como a solução evoluiu e comece agora mesmo a pensar no que crowdsourcing pode fazer pelo seu negócio!

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

topo