Conheça a incrível cultura de inovação do Google

Se você utiliza a internet, certamente conhece o Google. Fundada por Larry Page e Sergey Brin, essa empresa multinacional on-line é referência mundial quando falamos sobre cultura de inovação.

Famoso por ser o buscador mais utilizado do ocidente, o Google conta ainda com diversos outros produtos bem-sucedidos, como o Gmail, Google Drive, Blogger, Translate, Google Earth, além de sempre adquirir e otimizar produtos inovadores, como o YouTube, por exemplo.

O desenvolvimento desses e de outros produtos mostram como os colaboradores da empresa se empenham, são produtivos e inovadores. Isso porque o Google investiu na criação de um ambiente propício à inovação e colaboração. As condições de trabalho lá são tão fantásticas que não parecem ser verdade!

Os colaboradores não têm horário fixo de trabalho, sendo responsáveis por sua própria jornada, recebem todos os dias um café da manhã balanceado, podem jogar na sala de recreação, fazer massagens, pilates e ioga, decorar sua estação de trabalho com verba da empresa destinada a esse fim, dentre uma série de outros benefícios.

No entanto, desenvolver uma cultura de inovação não é apenas dar benefícios divertidos. É fazer com que o ambiente de trabalho seja receptivo ao colaborador e suas contribuições, incentivar sua criatividade, proporcionar ferramentas para que ele possa trazer novidades para a empresa e também estar atento às críticas e posturas.

Para entender como o Google se tornou uma referência em termos de cultura de inovação na era da transformação, confira as dicas que separamos com base nos princípios fundamentais da inovação de Gopi Kallayil, líder evangelista e de marketing do Google.

1. Inovação pode vir de qualquer um e de qualquer lugar

Não é preciso ser um grande gênio ou estar em uma posição hierárquica superior na empresa para inovar. Uma cultura de inovação pressupõe um ambiente colaborativo e não competitivo, em que as ideias de todos, independentemente do cargo, podem e devem ser ouvidas e consideradas.

Para inovar deve-se identificar uma necessidade, uma falha ou uma possibilidade de melhoria e, pensando fora da caixa, propor uma alternativa.

No Google, todos os colaboradores são incentivados a contribuir com ideias. Isso é um dos pontos que torna a empresa um ambiente com cultura de inovação.

2. O foco no usuário é primordial

Para alcançar o sucesso, o essencial é focar na experiência do usuário. Todo o resto é consequência. Com base nessa política, o Google desenvolve produtos que facilitam e agregam valor aos seus consumidores.

Tomamos como exemplo o desenvolvimento de melhores e mais rápidos sistemas de busca, como o instant search. Mesmo afetando o tempo de exposição de publicidade, o Google apostou na ideia e, ao poupar microssegundos nas pesquisas, aumentou ainda mais o número de usuários.

A cultura de inovação do Google, portanto, tem como base a melhoria da qualidade da experiência dos consumidores, muitas vezes em detrimento do lucro imediato, que é recuperado por meio da ampla aceitação dos produtos que oferece.

3. Ser 10 vezes melhor

Para inovar, não basta fazer apenas a sua parte. O colaborador deve sempre ir além, em busca de soluções para problemas que, muitas vezes, ninguém sequer havia notado.

O processo de seleção do Google é intenso e costuma demorar cerca de um ano, durante o qual os currículos, a vida pregressa, os hobbies e a atuação social são vistos e analisados — isso para que a empresa tenha pessoas criativas, inventivas, capazes e singulares.

O Google não deseja que o colaborador faça apenas o que é demandado, mas que possa pensar no novo. Ou seja, dar o melhor de si e procurar fazer o melhor por todos.

4. A aposta é no conhecimento técnico

Inovar é uma forma de utilizar melhor as ferramentas já disponíveis ou criar novas ferramentas mais eficientes para resolver velhos problemas. Para isso, é preciso dominá-las, ou seja, ter um profundo conhecimento técnico.

O desenvolvimento vem com muitas pesquisas e testes, e para a elaboração e análise destes, é preciso saber exatamente o que se está fazendo. Por isso, o Google aposta no conhecimento dos seus colaboradores, incentivando a capacitação constante.

5. Interação com usuários melhora os resultados

Como uma das diretrizes básicas é o foco no usuário, nada faz mais sentido que saber o que eles desejam, como reagem a um produto e o que têm a sugerir. O Google investe muito no seu mercado, buscando constantes feedbacks, análises de desempenho de produtos e políticas de testes.

Além disso, o Google lança vários produtos em versão beta e para desenvolvedores, incorporando as soluções apresentadas pelos próprios usuários.

6. O colaborador precisa de tempo para inovar

O Google dá 20% do tempo de trabalho para seus colaboradores desenvolverem projetos pessoais com recursos da empresa. Esses projetos podem ou não ser integrados à família de produtos do Google, mas são uma chance de desenvolvimento fora da lógica estrita do mercado e já trouxeram grandes avanços tecnológicos.

Dizem que o Orkut, primeira rede social, nasceu dessa forma.

7. Desenvolver um padrão de processos é imprescindível

Pode parecer, até agora, que o Google é um grande caos criativo que dá certo. Mas a verdade é que existem padrões processuais que guiam os desenvolvedores e colaboradores. Como é uma empresa que trabalha com resultados, é preciso entregá-los no tempo devido, por exemplo.

Uma cultura de inovação só pode florescer em um ambiente propício. Portanto, é importante padronizar os processos internos, mantendo, ao mesmo tempo, a flexibilidade para a inovação.

8. Aprender com as falhas e não se prender a elas

O Google tem também uma longa história de fracassos e produtos descontinuados. Google Reader, Wave, Buzz e Lively são alguns exemplos. Isso porque a empresa não teve receio de arriscar. Mas, mais que isso: sempre soube fracassar com rapidez, aprender com suas experiências e tomar o melhor desses projetos.

O Google Wave, por exemplo, foi a base de criação do Google Drive, um ambiente virtual compartilhado, excelente e bem-sucedido.

9. Missão e propósito unem os colaboradores

Para o Google, o colaborador faz parte de uma missão, com o propósito de “organizar as informações do mundo e torná-las mundialmente acessíveis e úteis”. É com base nisso que cria um ambiente de colaboração e uma cultura de inovação direcionados para o aprimoramento da organização como um todo.

Por esses nove motivos, o Google é referência mundial em cultura de inovação empresarial. Gostou? Compartilhe este artigo com seus amigos nas redes sociais!

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

topo