Guia definitivo: por que inovar na minha empresa?

Quando falamos em inovação, é comum que logo pensemos em novas tecnologias. No entanto, inovar pode significar também uma mudança do que já existe. Mudar um costume, deixar para trás certas manias, modificar processos. Empresas com hábitos de inovações constantes não só usufruem dos melhores recursos tecnológicos à disposição, mas também podem realizar as melhores práticas do mercado. Sempre que uma mudança de cenário ocorrer, a empresa estará mais flexível para se adaptar sem sentir grandes impactos negativos.

Criar e desenvolver novos produtos e serviços é uma estratégia fundamental para uma empresa que almeja crescer de forma sustentável em meio a um mercado tão concorrido, mas não é só isso. É preciso agregar valor para que o consumidor enxergue as vantagens e benefícios que terá com ele. O mesmo vale para um produto que já está no mercado. Inove agregando um valor e trabalhe com foco para mudar a percepção do consumidor: assim você terá uma nova abordagem de vendas e melhores resultados.

A inovação pode ser aplicada em todos os setores da organização. Em um mundo empresarial cada vez mais dinâmico, mudar é necessário e a inovação é crucial para acompanhar as mudanças e se adaptar rapidamente para se manter forte no mercado. Com a ajuda da internet, equipamentos de alta tecnologia estão sendo desenvolvidos para melhorar os processos das empresas. A IOT (Internet Of Things) já é uma realidade e equipamentos que dependiam apenas de eletricidade para funcionar agora utilizam também recursos de internet para integrar dados de produção ao sistema central das empresas.

Diante de tantas oportunidades que a inovação pode trazer para o ambiente organizacional, desenvolvemos esse post com o intuito de orientar os gestores sobre o que já existe de melhor, a importância de incluírem a inovação em suas empresas e, o mais importante, como inovar na empresa sem comprometer a integridade física do negócio. 

Primeiramente, conheça algumas tendências de tecnologias e inovações

Segundo a Gartner, empresa americana de consultoria, em 2016 algumas tendências se concretizam, novas surgem e outras ganham força para os próximos anos. Descubra algumas delas!

IOT (Internet Of Things)

A internet das coisas é uma tendência que deve ganhar ainda mais força em 2016. Máquinas e equipamentos com funções controladas por meio de aplicativos móveis devem impactar uma nova experiência de monitoramento e execução de processos. Com a extensão de coberturas de internet por meio de wi-fi, a interação do usuário com as máquinas e equipamentos à sua volta deve ganhar novas proporções cooperativas.

Internet 5G

O Brasil é conhecido por ter um serviço de internet de baixa qualidade e preços exorbitantes se comparado com países do primeiro mundo. No entanto, esse cenário deve mudar em um futuro próximo. Devido ao grande aumento da demanda e à migração dos negócios físicos para o ambiente online, grandes empresas do setor devem dedicar esforços na melhoria desses serviços e trazer a internet 5G para o país. Isso deverá impulsionar as inovações tecnológicas que abrangem a IOT.

Aplicativos corporativos

Os aplicativos estão em alta e devem crescer ainda mais em 2016. A ferramenta complementa a tendência de internet das coisas e torna-se ainda mais importante agora. Não só dados podem ser acessados de qualquer lugar a qualquer hora como também o controle de fábricas pode ser realizado a distância. Ambientes físicos, virtuais e eletrônicos devem ser mesclados por meio de um aplicativo móvel à medida que o usuário se movimenta pela empresa, agregando maior agilidade aos processos de monitoramento e execução de tarefas.

Impressoras 3D

Setores da indústria automotiva, farmacêutica e biológica, de construção civil e de eletrônicos já contam com uma extensa gama de materiais fabricados por meio das impressoras 3D. Além de ampliar a capacidade de oferta aumentando a velocidade de produção, a qualidade deve ser melhorada devido à precisão dos processos automatizados. A expectativa é de que na próxima década os setores de medicina, aeroespacial, energia e militar também devam contar com impressoras 3D em seus processos produtivos.

Realidade virtual ou realidade aumentada

Seguindo o conceito dos jogos eletrônicos, a realidade virtual está sendo criada para simular operações de alto risco e treinar operários e colaboradores da indústria e também das áreas gerenciais. A tendência deve mudar a forma de capacitação e treinamento, agregando melhores experiências e ampliação das habilidades adquiridas. Além dos treinamentos, atividades também poderão ser executadas em escritórios virtuais acessados por meio de dispositivos móveis.

Aprendizado das máquinas

A análise manual de dados e informações tornou-se complexas e inviáveis. Para resolver isso, as DNNs (Deep Neural Nets) — “Redes Neurais Profundas”, em português — foram desenvolvidas com o intuito de automatizar esse processo. Elas vão além da gestão da informação convencional, fazendo com que sistemas possam compreender o mundo à sua volta de forma autônoma. Máquinas e equipamentos devem adquirir uma inteligência artificial superior aumentando a capacidade de aprendizagem e adaptação autônoma.

Arquitetura baseada na segurança adaptativa

Conforme aumentam os serviços oferecidos em nuvem e por APIs (Application Programming Interfaces) abertas para integrações com sistemas, maior é o risco de ameaças de invasão por hackers. Isso motivou o fortalecimento de uma tendência voltada para a segurança das informações. Mas não uma segurança convencional: a estrutura deve se basear na autoproteção, analisando os comportamentos dos usuários e sistemas para identificar e responder automaticamente as ameaças.

Plataformas de controle da IOT

Toda a estrutura que torna possível a interligação entre aplicativos móveis e máquinas e equipamentos deve ser baseada em uma plataforma online. Correção de falhas, implementação de novas funcionalidades, testes, backups e outras tarefas de manutenção e atualização exigem uma plataforma de trabalho ampla e com ferramentas de configurações avançadas.

De um modo geral, as tecnologias devem contribuir para a otimização de processos por meio da reinvenção do “como fazer” e gerar oportunidades de adaptação entre os objetivos organizacionais e as inovações metodológicas.

Inovações para gestão de negócios

Na última década, cresceu o número de gestores interessados em saber como inovar na empresa. Alguns fatores, como a evolução das tecnologias de internet, mercado competitivo e necessidades de otimização dos processos, contribuíram fortemente para que isso acontecesse e, hoje, a inovação tecnológica e metodológica deixou de ser uma simples opção, se tornando uma estratégia de gestão crucial para a sobrevivência do negócio. Você ainda não conhece as vantagens da inovação aplicada na gestão de negócios? Venha descobrir como inovar na empresa!

A inovação tecnológica como vantagem competitiva

As pessoas buscam exclusividade e associar esse fator a sua marca é fundamental para a construção de uma vantagem competitiva. Além disso, empresas que investem em inovação são bem vistas pela sociedade, podendo mudar a percepção que o mercado tem dela.

Estratégias de diferenciação do mercado e a construção de uma proposta de valor para o negócio podem estar diretamente ligadas ao desenvolvimento e implementação de um plano de inovação. Seja agregando valor ao produto ou serviço para melhorar as experiências do consumidor, seja reduzindo a emissão de poluentes para tornar-se ambientalmente correta, a empresa pode aderir a inovação para atuar em qualquer área em que exerça suas atividades operacionais ou gerenciais.

O problema é que muitas empresas investem em inovação sem o desenvolvimento de um plano de ação estratégica, dispensando a avaliação dos riscos e colocando em cheque todo o sucesso da missão. Por isso, a primeira coisa a fazer é conhecer as inovações tecnológicas e metodológicas existentes que englobam as atividades do negócio. Em seguida, é preciso analisar a necessidade de cada uma, avaliar riscos, identificar oportunidades e descobrir se esse é o momento certo da implementação.

E não é só isso. Após a implementação da inovação na empresa, o gestor precisa monitorar a evolução dos processos constantemente para se certificar de que tudo está saindo conforme o planejado. Só assim será possível alcançar resultados satisfatórios para o negócio.

A inovação metodológica dos negócios colaborativos

Como já dissemos, não só de tecnologias vive a inovação, mas ela contribui para a mudança nos processos e geram oportunidades de se desenvolver novos métodos é técnicas mais eficientes. Tudo isso deve influenciar em uma revolução na forma como se faz as coisas. O mundo dos negócios é dinâmico, registra mudanças constantes e exige uma gestão adaptativa para sobreviver.

Com um novo cenário mais digital, moderno e colaborativo, as empresas começam a mudar conceitos e tornam-se mais flexíveis para compartilhar bens, direitos e informações. Os negócios colaborativos viabilizam o acesso a bens e serviços sem que seja necessária a compra deles. A modalidade foi uma saída de mestre para as PMEs (Pequenas e Médias Empresas), que disputam uma fatia de mercado com concorrentes fortes. A solução também é uma resposta inteligente à falta de recursos naturais e financeiros do mercado atualmente.

A estratégia visa a aquisição ou aluguel de bens e serviços de forma compartilhada pelas empresas participantes a fim de que cada uma tenha o direito de utilizar por um período de alta demanda. Assim custos são divididos, aumentando a viabilidade do negócio. Além disso, as empresas menores poderão juntar forças para cumprir prazos, melhorar a qualidade da produção, reduzir o índice de riscos envolvidos nas operações e atender as demandas latentes seguindo as tendências de mercado.

Usando a inovação para diminuir gastos

A redução de gastos é o motivo que mais leva os gestores a investirem em inovações nas empresas. Economizar recursos como matéria-prima, mão de obra, investimentos financeiros, equipamentos, tempo e outros recursos são prioridades para a maioria. No entanto, muitos gestores não sabem como inovar na empresa de forma eficiente e que de fato traga redução de gastos. Isso pode comprometer a estratégia e colocar o negócio em risco. Diante desse problema, listamos algumas formas de como você pode utilizar a inovação para diminuir os gastos da sua empresa. Acompanhe!

Aquisição e aluguel de equipamentos e serviços

Como mencionado no tópico acima, a inovação por meio de negócios colaborativos tem um papel fundamental nas estratégias de redução de gastos das empresas. Considere que você precise investir em equipamentos para atender uma alta repentina na demanda. A compra pode se converter em um investimento mal sucedido quando a demanda cair e voltar aos padrões originais. Sendo assim, por que não alugar ou firmar uma parceria com empresas do setor para a aquisição compartilhada?

A economia gerada não será só na aquisição, mas em todo o decorrer de sua vida útil, considerando as manutenções e atualizações necessárias. Imagine agora estender essa estratégia para a aquisição de veículos, imóveis, tecnologias e outros bens necessários para o funcionamento da empresa. A redução dos gastos pode ser ainda maior.

Automatização dos processos gerenciais e operacionais

As tecnologias de software podem contribuir bastante para a redução de gastos nas empresas. Com elas, novas técnicas e metodologias estão surgindo e revolucionando os processos operacionais e gerenciais. Colocar essa inovação para atuar na otimização dos processos pode gerar benefícios como redução de desperdícios dos recursos mais importantes aplicados na produção. Processos automatizados podem agregar maior precisão e acelerar a produtividade, reduzindo o índice de falha humana. Além da economia de tempo, a empresa pode reduzir também os gastos com os desperdícios de matéria prima.

Transferência da infraestrutura de TI da empresa para a nuvem

Transferir a infraestrutura de TI da empresa para a nuvem vai ajudar a poupar bastante dinheiro, pois não será mais necessário pagar pela aquisição e atualização de softwares e investir na segurança das informações. Além disso, a mobilidade é outra grande vantagem, pois o sistema pode ser acessado por meio de dispositivos móveis onde e quando os gestores ou colaboradores precisarem, sem a necessidade de eles se deslocarem até as instalações da empresa. Assim, a redução de gastos com mobilidade de funcionários também pode ser gigantesca.

Terceirização de tarefas para os profissionais freelancers

Você já se pegou pensando que alguém poderia fazer algumas tarefas por você? Muitos gestores perdem um tempo valioso realizando tarefas simples e que poderiam ser terceirizadas para os profissionais freelancers. Como nem toda atividade ainda pode ser automatizada, diversas plataformas de crowdsourcingdispõem de profissionais com alta qualificação dispostos a trabalharem por um período e ganharem uma renda extra. Muitos ganham a vida assim e isso tem configurado cada vez mais um novo modelo de mercado de trabalho. O melhor de tudo é que, além de o gestor economizar tempo para focar no que realmente importa, delegar tarefas para profissionais freelancers não envolve trâmites legais e burocráticos, o que torna a estratégia atraente para ambos os lados.

Inovações e a gestão de TI

Diante de um cenário de crise econômica, muitos gestores passam a reavaliar os seus planos de investimentos. Nesse momento, as áreas de TI, marketing e publicidade e captação de novos clientes são as que mais sofrem os impactos. Os esforços costumam ser direcionados exclusivamente para a redução de custos, sem considerar qualquer risco nessa operação.

Apesar disso, principalmente nos serviços de TI, a crise financeira gera grandes oportunidades, muitas vezes incompreendidas ou não visíveis pelos gestores. Por exemplo, as informações das empresas são bens que devem ser protegidos e, em um mundo onde o acesso às informações é cada vez maior, muitos gestores se descuidam da segurança, o que acaba por comprometer o futuro do negócio.

O famoso “fazer mais com menos” só é possível com investimentos na área de tecnologia da informação, na qual processos são automatizados de modo a alcançar a máxima eficiência da produção. Assim, a competitividade da empresa pode ganhar um reforço extra para se manter em destaque no mercado. Outra vantagem dos investimentos aplicados nas inovações do setor de TI é a possibilidade de a empresa contar com um planejamento estratégico de continuidade de negócios e Disaster Recovery (Recuperação de danos), evitando que eventuais paralisações aconteçam na produção e garantindo a integridade dos dados.

Inove para gerar mais resultados

Como consequência de anos de experiências, as pessoas costumam desenvolver crenças e, muitas vezes, se fecham para o novo. Novas ideias e oportunidades são perdidas por muitos gestores acreditarem fielmente que o que fazem e a forma como fazem são as melhores alternativas. Optar pela inovação tecnológica ou metodológica implica em tomar decisões conscientes de forma planejada, controlando riscos, e utilizar as experiências negativas para aprender o que funciona na prática e poder melhorar o que falhou da primeira vez.

Os gestores que deixam as experiências negativas afetarem a sua motivação em inovar perdem a oportunidade de ousar e descobrir as fontes do sucesso. Nesses casos, um planejamento de controle de riscos pode dar maior tranquilidade para o gestor inovar sem medo, descobrir mais rápido o que não funciona e direcionar os seus esforços para o que realmente pode trazer bons resultados.

A inovação não é mais uma opção, mas uma necessidade constante. Por meia dela empresas conseguem atingir melhores níveis de resultados somente por reestruturarem seus processos — basta uma visão mais abrangente do negócio no mercado e um pouco de criatividade. O desenvolvimento de novos produtos e serviços com o valor agregado percebido pelo consumidor só é possível com criatividade, planejamento e a inovação como fonte estratégica. O mesmo vale para as brilhantes campanhas de marketing e publicidade que são capazes de despertar o desejo do consumidor.

No gerenciamento de projetos, por exemplo, ferramentas prometem elevar as tradicionais técnicas de planejamento, organização, execução e monitoramento de tarefas a patamares mais eficientes. As metodologias ágeis permitem otimizar a gestão de projetos agregando rápidas ações e redução dos riscos que envolvem o trabalho e, assim, melhorar consideravelmente os resultados. O exemplo de inovação aqui envolveu a descoberta de melhorias na forma como as tarefas são realizadas, mas só foi possível graças à inovação tecnológica que permitiu a construção de ferramentas online organizadas em softwares e programas específicos.

Podemos dizer que a geração de resultados não se trata apenas de sorte, mas de muito trabalho e esforço. Quer uma dica de como inovar na empresa com sucesso? Dedique um tempo para estudar o mercado, o seu negócio, seu produto ou serviço e o consumidor. No processo, vá anotando as ideias criativas que vão surgindo. Mas, antes de desenvolver o seu planejamento de implementação, invista em pesquisa. De maneira geral, a inovação vale muito a pena e todos os setores da empresa devem ter impactos positivos com ela. Melhorar os resultados do negócio depende disso.

É bom lembrar que a inovação não acontece em um estalar de dedos como mágica, nem é realizada da noite para o dia. Ela é fruto de um processo contínuo que envolve pesquisas e criatividades voltadas para a melhoria dos processos e tecnologias. Para ter uma empresa com cultura inovadora, é preciso que os gestores, além de investirem tempo e recursos financeiros, proporcionem um ambiente favorável para isso. Gestores e colaboradores precisam estar sempre envolvidos com o negócio e manter uma participação ativa nos processos de pesquisa, desenvolvimento e implementação da inovação. Quanto mais cabeças pensando, maior será o foco, e você poderá se surpreender com os resultados.

A dedicação de tempo não significa comprometer a produtividade para inovar. Procure encarar isso como um investimento que dará frutos no médio e longo prazo. Em pouco tempo o investimento poderá ser recuperado e ainda trazer lucros superiores, já que a inovação deve ampliar a produtividade e a qualidade, além de melhorar os resultados gerais. Lembre-se de que a inovação é um processo contínuo e a busca por novidades deve ser constante. Inovar uma vez e não repetir o processo, por outro lado, fará com que a empresa volte a ficar defasada com o tempo, perdendo espaço no mercado — e sabemos que isso não é uma estratégia inteligente.

Esperamos ter respondido a pergunta de como inovar na empresa. E mais, esperamos que as dicas e exemplos citados nesse post possam ter fornecido algumas ideias valiosas para você colocar a inovação em prática também na sua empresa. Quer mais uma dica? Não espere mais tanto tempo para decidir inovar o seu negócio. Comece hoje mesmo a planejar um futuro de sucesso para a sua empresa!

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

topo