Impressão 3D: modismo ou oportunidade?

Nos últimos anos, notícias sobre a tecnologia de impressão 3D têm ocupado lugares de destaque em diversos meios de comunicação, todos evidenciando o brilho dessa tecnologia emergente.

Mas afinal, o que a impressão 3D faz exatamente? Quais são as reais vantagens dessa tecnologia? Ela se trata de uma oportunidade ou é apenas mais uma moda passageira?

Neste artigo, vamos mostrar o essencial dessa tecnologia e como sua empresa pode se beneficiar com ela. Confira!

O que é uma impressão 3D?

Inventada pelo executivo Chuck Hull em 1986, a impressão 3D é o processo de transformar um arquivo digital 3D em um objeto físico.

A criação de um objeto impresso em 3D pode ser realizada por meio de diferentes processos. O mais comum consiste em sobrepor diversas camadas de lâminas de polímeros, uma acima da outra, até que se forme o objeto desejado.

Contudo, existem impressoras que utilizam processos diferentes para dar vida aos objetos, como laser e até pontos de luz.

Como funciona uma impressora 3D?

Tudo começa com a criação do arquivo digital do objeto que se deseja criar. Esse arquivo pode ser criado por meio de Scanners 3D — que digitaliza qualquer tipo de objeto real e cria uma versão digital em 3D — ou por meio de softwares de modelagem 3D, que existem sob diferentes faixas de preço, incluindo alguns gratuitos, como o Blender.

Depois de criado o projeto digital, o comando é enviado para a impressora, que inicia o trabalho de impressão.

Quais são os benefícios e as vantagens da impressora 3D?

Veja quais são os principais benefícios da impressão 3D e por que ela pode ser considerada uma tecnologia promissora:

Produção mais ágil

Com o surgimento de impressoras 3D, indústrias são capazes de fabricar a maioria dos objetos em poucas horas. Com isso, os métodos de fabricação clássicos — que chegam a levar dias para a fabricação de um simples protótipo — começam a se tornar obsoletos.

Além disso, a velocidade de impressão também contribui para a redução dos custos de fabricação. Para alguns tipos de negócio, é possível até mesmo fabricar itens sob demanda. Dessa forma, o pedido só começa a ser criado depois de concretizada a venda, evitando a necessidade de se manter estoques em grandes armazéns.

Menos resíduos e mais economia

A fabricação de materiais na indústria costuma ser um processo que resulta em muito desperdício.

No segmento de aviação, por exemplo, para que uma peça de titânio seja produzida a partir de um bloco maciço, cerca de 90% do material bruto é perdido. O mesmo artefato, construído por uma impressora 3D, tem desperdício zero. Além disso, o produto impresso em 3D pode ser até 60% mais leve em comparação com a peça usinada, e mantém a mesma resistência.

Melhor qualidade

Produtos criados por meio de impressoras 3D possuem qualidade superior a muitos outros métodos de fabricação. O seu processo de construção camada a camada evita que surjam defeitos como bolhas de ar internas, muito comuns em produtos feitos por meio de moldes.

Além disso, novos modelos estão surgindo no mercado e possibilitando um nível de detalhamento ainda mais impressionante, com materiais que simulam diversos tipos de texturas e cores diferentes.

Novas possibilidades de combinações de materiais

Devido aos altos custos de adaptação na indústria, misturar diferentes tipos de materiais de fabricação é um processo difícil. Nos métodos tradicionais de fabricação, as dificuldades de combinar as propriedades químicas de diferentes matérias-primas também são outro impedimento às possibilidades de criar combinações novas.

Com a impressão 3D, essa barreira finalmente foi quebrada. Muitas empresas já oferecem dezenas de materiais com diferentes acabamentos, capazes de simular metal, cerâmica, vidro e até madeira.

E a oferta de matéria-prima deve aumentar devido à grande quantidade de inovações possíveis e dos investimentos realizados nesse segmento.

Personalização

Vivemos em uma época em que os clientes exigem, cada vez mais, que as soluções oferecidas pelas empresas sejam únicas e personalizadas de acordo com as necessidades e as preferência de cada pessoa.

A produção em massa padrão vai contra essa tendência, pois todas as partes de um produto saem da linha de montagem com o mesmo formato. Com a impressão 3D, é possível personalizar ou ajustar cada parte de um objeto para adequá-lo às necessidades de cada pessoa, tornando-o exclusivo.

O mercado de próteses e odontologia, em particular, podem se beneficiar muito dessa nova possibilidade, pois cada paciente precisa de uma solução que se adapte às suas particularidades.

Menos falhas

Testar uma nova ideia rapidamente e descobrir se ela funciona ou não acelera a descoberta de novas soluções no mercado. Qualquer empresa pode utilizar a impressão 3D para acelerar as descobertas iniciais do desenvolvimento de um novo projeto. Isso porque é fácil, rápido e barato alterar o protótipo, desenhando-o novamente.

Assim, produtos são lançados com custos mais baixos — uma vez que o investimento em pesquisa foi menor — e qualidade superior, já que foi possível testá-lo muito antes do lançamento oficial para o público.

Processo de fabricação sustentável

O desperdício reduzido com relação aos métodos tradicionais não resulta apenas em economia, mas também em sustentabilidade e responsabilidade ambiental.

Se levarmos em conta a característica multi-propósito de uma impressora 3D — ou seja, poder imprimir objetos diferentes com um único equipamento — e seu ecossistema digital — em que tudo é transmitido eletronicamente e objetos podem ser impressos em qualquer lugar, evitando custos de transporte —, podemos considerar que as impressoras 3D são um processo de fabricação altamente sustentável.

Afinal, impressão 3D é uma moda passageira?

Em diversos países, a queda dos preços desses equipamentos tem contribuído para a adoção em massa dessa tecnologia, especialmente em países como os Estados Unidos. Não há dúvidas que, como qualquer tecnologia nova, ela vai evoluir e se tornar cada vez mais acessível ao público.

Nas próximas décadas, podemos esperar grandes mudanças na indústria e nas relações de compra entre empresas e consumidores. As tendências de produtos personalizados poderão se intensificar com a ajuda do 3D, de maneira que, consumidores comprando arquivos digitais, modificando-os a seu gosto e imprimindo-os em casa, se tornará algo comum.

As empresas que conseguirem se adaptar a essa nova realidade terão clara vantagem competitiva. O mercado para esse segmento ainda é tímido, mas está em constante crescimento e novas oportunidades de negócios poderão ser criadas para explorar ao máximo essa nova tecnologia.

E você, acha que a impressão 3D chegou para ficar? Então compartilhe este post com seus amigos nas redes sociais!

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

topo