Por que se preocupar com a gestão do conhecimento na sua empresa

“Gestão do conhecimento” é um termo que surgiu há aproximadamente 2 décadas, em meados dos anos 90. Em poucas palavras, é uma forma de organizar holisticamente as informações e o conhecimento obtidos por um negócio, ou seja, de distribuir e usar da melhor maneira o conhecimento de uma empresa.

Todas essas ideias podem parecer vagas caso não delimitemos o que consideramos como fontes de conhecimento dentro de uma empresa. Elas podem ser base de dados, documentos, políticas empresariais, processos e, inclusive, a experiência e o expertise dos seus funcionários. Basicamente, qualquer conteúdo pode ser uma fonte de conhecimento.

Por essa razão, é necessário contar com um gestor para dar orientações e sentidos para esse emaranhado de dados. Afinal, o conhecimento só surge a partir de informações sistematizadas.

Confira a seguir por que você deve começar a se preocupar com a gestão do conhecimento na sua empresa:

Quais são os benefícios da gestão do conhecimento?

Decisões melhores e mais rápidas são tomadas

Com o ciclo tradicional de tomada de decisões, a cada momento crítico você precisaria iniciar um procedimento de pesquisa de informações relevantes para a solução do problema, alocar funcionários para análise desses dados e reunir gestores para a tomada de decisão.

Como a gestão de conhecimento pretende criar um ciclo contínuo de nutrição de informações, não será necessário iniciar o processo do zero, uma vez que todos estarão com as informações mais estratégicas em mãos.

Evita esforços redundantes e erros repetitivos

Como as informações são sempre compartilhadas e utilizadas para o aprendizado, dificilmente um colaborador fará um trabalho que um colega já fez ou está fazendo. Além disso, os erros passados são usados como substrato para gerar mais conhecimento e aprendizado na empresa, evitando, dessa forma, que eles sejam repetidos.

O processo de comunicação é otimizado

Um dos grandes problemas das empresas é o ruído gerado pela comunicação ineficiente. A hierarquia rígida baseada na competição gerou o famoso “efeito telefone sem fio”, no qual as decisões tomadas pela direção são distorcidas à medida que descem na hierarquia da empresa: os gestores entendem uma coisa, os gerentes, outras e os funcionários ficam perdidos.

Com uma boa gestão do conhecimento, como a grande maioria das informações é compartilhada para aprendizagem, aumenta-se a capacidade crítica dos diversos colaboradores de compreender se a informação transmitida está de acordo com os objetivos dos diretores e da empresa.

A empresa terá uma vantagem competitiva em relação aos concorrentes

Enquanto os concorrentes utilizam modelos ultrapassados de gestão, ignorando a gestão do conhecimento, você estará aproveitando todos os dados obtidos sobre eles para elaborar estratégias para ultrapassá-los.

Como aplicar a gestão do conhecimento na sua empresa?

Para aplicá-la e usufruir desses benefícios, você deverá mudar totalmente a cultura de sua organização: a competitividade deve ser reduzida para evitar que seus colaboradores tendam a reter conhecimento. Deve-se criar um ambiente cooperativo para que o fluxo da informação transcorra facilmente.

Então, dá-se início a um longo, mas produtivo processo de implementação da gestão do conhecimento, que resumiremos a seguir:

Gestão de competências

Primeiro, vamos a um termo muito utilizado nas empresas: “talentos”. Na gestão do conhecimento, o talento, apesar de bem-vindo, é extremamente desnecessário. Ele se refere a características pessoais dos indivíduos, que podem não trazer nenhum ganho para a empresa.

Já a competência exige o conhecimento real, aplicado, a experiência e a habilidade de transformar os recursos da empresa em ganhos efetivos. Gerir competências significa saber onde se localizam os talentos, os profissionais mais produtivos e os líderes, e alocá-los onde são realmente necessários.

Para tal, o gestor de conhecimento deverá definir as atitudes, habilidades, conhecimentos e qualificações de cada colaborador. Então, ele deverá pensar em que setores estão mais carentes das competências de determinado funcionário. Trata-se de iniciar uma gestão estratégica dos seus recursos humanos.

Gestão de capital intelectual

O capital intelectual é o somatório do conhecimento de todos os atores dentro da sua empresa. É a capacidade mental coletiva para continuar criando continuamente, com qualidade superior. Para tal, o gestor deverá saber como utilizar:

  • O conhecimento individual de cada um;

  • O conhecimento produzido quando as pessoas se relacionam e compartilham o conhecimento; e

  • O conhecimento armazenado nas mais diversas mídias, desde arquivos internos e intranet até os dados obtidos em big data e social media.

Aprendizagem organizacional

Utilizando os dados obtidos no item anterior, o gestor de conhecimento deverá buscar um ambiente propício para a geração de conhecimento. Algumas medidas para isso são:

  • Criar grupos de trabalho para elaborar novas ideias, tendo em vista a otimização do conhecimento produzido pelo choque de saberes;

  • Colocar as informações estratégicas nas mãos dos funcionários competentes;

  • Buscar as melhores ferramentas de análise e extração de dados.

Isso criará um ambiente de aprendizagem contínua voltado sempre para os objetivos, metas e estratégias da empresa.

Inteligência empresarial

Conhecida pelo termo em inglês Business Intelligence, a inteligência empresarial tem como objetivo coletar e analisar informações a respeito do mercado, como as atividades da concorrência, os comportamentos dos clientes e as tendências dos negócios, a fim de cumprir com as missões da empresa.

É um processo no qual uma quantidade enorme de informações objetivas e dispersas é coletada, para, depois, ser analisada e destilada até que somente informações úteis para o processo decisório da empresa sejam obtidas. Para implementar a inteligência empresarial, diversas ferramentas estão disponíveis, como big data, social media analysis, SEO, etc.

Educação corporativa

Por fim, inicia-se um ciclo de alimentação e nutrição constante na sua empresa, em que ela age proativamente em busca da otimização em vez de responder a algum estímulo dado pelo mercado. Todos os conhecimentos adquiridos nas etapas anteriores são sistematizados para serem compartilhados com seus colaboradores.

O conhecimento é inútil se não for aplicado em pessoas. Então, com funcionários treinados constantemente com informações mais reais e atualizadas, eles poderão elaborar melhores estratégias e aumentar seu senso crítico, o que contribui para o crescimento da empresa.

O sucesso de uma empresa está intimamente ligado a como ela aproveitas as oportunidades. Então, as empresas que acompanham tendências, gerem seus conhecimentos e se preparam para as mudanças são as que têm obtido maior sucesso no mercado. Quer saber mais sobre como fazer isso? Então assine nossa newsletter!

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

topo